HS_lauda_9_4

Como recuperar o dinheiro de um consórcio cancelado

O consórcio é uma modalidade que vem registrando crescimento, ano após ano. Isso porque é um segmento muito vantajoso para quem deseja adquirir os seus bens ou fazer um investimento de longo prazo com segurança e sem pagar juros. Mas infelizmente, imprevistos acontecem para todos, e ainda que a sua reserva financeira não seja suficiente para suprir a demanda que você necessita para pagar a parcela mensal, nós vamos te contar como funciona o passo a passo para reaver o dinheiro que você investiu no consórcio, caso a desistência seja a única alternativa.

>>> Precisando de  ajuda com o seu planejamento financeiro? Confira aqui o passo a passo.

Como recuperar o dinheiro de um consórcio cancelado

Se você esgotou as suas possibilidades e precisa cancelar o consórcio, saiba que isso só é possível caso você não tenha sido contemplado.

É importante que o consorciado esteja atento ao prazo do pagamento da parcela para evitar inadimplência, acarretando ainda em multas, taxas de juros e o impedimento de participar dos sorteios. Por isso, se você vê o cancelamento como a única alternativa, converse com o seu corretor autorizado ou diretamente com a nossa central para verificar os trâmites necessários para tal ação.

Conversar com o seu corretor é importante, pois existem algumas alternativas que podem te ajudar ao invés do cancelamento:

  • Redução no valor da carta de crédito, influenciando diretamente no valor da parcela mensal;

  • Renegociação de parcelas vencidas.

 

Devolução do valor já pago

É importante ressaltar também, que o cancelamento da cota vai implicar de imediato na necessidade de não pagar as parcelas seguintes. A devolução do valor já pago não é feita de forma instantânea após o cancelamento, conforme descrito em contrato.

Vale lembrar que o consórcio é formado por um grupo de pessoas que obtém o mesmo objetivo: investir ou comprar um bem, sem  juros, dentro do segmento de sua escolha. É por este motivo, que existem regras que visam não prejudicar os demais consorciados com a desistência de um ou mais participantes do grupo.

A recuperação do dinheiro pode ocorrer por meio de sorteio da cota cancelada ou após a data de encerramento do grupo, conforme legislação vigente do consórcio. O valor a ser devolvido é definido  conforme o valor da cota na data da contemplação e com o percentual acumulado no fundo comum do grupo. É importante lembrar ainda, que o cancelamento do consórcio implica em multa por desistência.

 

Desistência após a contemplação

Se o consorciado desistir após ser contemplado, ou seja, ele usou a sua carta de crédito para aquisição de um bem, ele fica impossibilitado de desistir, já que isso implicaria no recolhimento do bem dado como garantia. Caso o consorciado tenha sido contemplado, mas não tenha usado ainda a carta de crédito, é possível fazer um procedimento de descontemplação, onde ele pode optar por seguir no grupo ou realizar o cancelamento.

Se optar pelo cancelamento, é importante que os seus dados permaneçam sempre atualizados junto a administradora para que a devolução ocorra de forma tranquila, em um dos casos descritos acima.

Entendeu como funciona o processo de devolução do consórcio? Estamos sempre à disposição para encontrar a melhor solução para o seu caso e no esclarecimento das suas dúvidas.

Fale com o corretor autorizado mais próximo de você ou contate a nossa central:

(051) 3564 8400 ou https://hsconsorcios.com.br/contato

HS_lauda_16-03

Conheça as principais modalidades de lance para antecipar o seu consórcio

O consórcio é uma modalidade vantajosa em muitos aspectos, e muita gente vê nele a possibilidade de comprar ou reformar uma casa, comprar terreno, chácara ou veículo para pessoa física ou jurídica. Assim como todo investimento, é necessário planejamento, uma vez que você não sabe quando será contemplado. Porém, existem formas de aumentar as chances de ser contemplado sem depender apenas do sorteio.

O que é o consórcio

O consórcio é um segmento financeiro para quem busca investir ou comprar bens móveis ou imóveis da forma mais vantajosa possível. Sem pagar juros, com prazos estendidos e com segurança. Através de um grupo de pessoas que possui um mesmo objetivo, e de uma administradora responsável por gerenciar este grupo, o consorciado adquire seus bens com planejamento, ou faz um investimento para o seu futuro.

O investimento de longo prazo é escolhido por aquelas pessoas que desejam realizar a compra de um bem de alto valor agregado, sem pagar as altas taxas de juros dos financiamentos bancários.

O que é o lance no consórcio

O lance é um valor que pode ser ofertado com o objetivo de antecipar a contemplação, sendo que todos os consorciados com as suas parcelas em dia podem efetuar lances, respeitando as características individuais do grupo ao qual pertencem.

Confira as principais modalidades e veja qual delas se aplica melhor a sua realidade.

  •  Lance Livre – Esta é a modalidade mais comum, em que o consorciado pode antecipar um determinado número de parcelas como lance. Neste caso, o maior lance é o vencedor e tem a possibilidade de usar o valor da carta sem precisar depender apenas da sorte.

  • Lance limitado – é a modalidade onde os lances possuem um limite de parcelas que podem ser ofertadas, de acordo com as características do grupo. A cota contemplada será a que mais se aproxima do resultado da Loteria Federal.

  •  Lance Fixo – é a modalidade onde a oferta é fixada em um certo número de parcelas, de acordo com as características do grupo (ex: fixo em 30 parcelas). A cota contemplada será a que mais se aproxima do resultado da Loteria Federal.

  •  Lance embutido – é a modalidade que visa facilitar para o consorciado que não dispõe de um valor para ofertar como lance. Nele, é possível utilizar 30% da carta para abater o lance ofertado.

 

Se você ainda está com dúvidas, indicamos que converse com o seu corretor autorizado, para que ele indique, dentro das suas possibilidades, qual é a melhor opção. O lance pode ser feito através do corretor autorizado ou pelo aplicativo da HS Consórcios que está disponível para sistema Andoid e iOS ou ainda pelo site, até o dia do vencimento da parcela mensal.

Saiba mais no site https://hsconsorcios.com.br/

HS_lauda_21-02

7 passos para a compra de um imóvel

Conquistar a casa própria é o sonho de 8 em cada 10 pessoas que ainda não possuem uma casa para chamar de sua. Saiba que realizar este sonho é possível, especialmente com o consórcio. Independentemente de sua renda, com o planejamento financeiro correto você possibilita a compra de bens duráveis, de alto valor aquisitivo, fazendo um investimento para o seu futuro.

O consórcio torna o seu sonho viável, pois com ele você tem um prazo mais longo para o pagamento, garantindo assim uma parcela que cabe no seu bolso. A HS Consórcios oferece ainda a opção de pagar apenas metade da parcela até a contemplação, fazendo com que você possa iniciar, mesmo morando de aluguel.

Confira agora o passo a passo para conquistar a sua casa e comece a planejar conosco, hoje mesmo!

infografico

Gostou das dicas? Acesse o nosso site e faça uma simulação agora mesmo https://hsconsorcios.com.br/simulador

HS_lauda_06-02

Taxa administrativa e fundo de reserva no consórcio: saiba o que é

Se você é novo por aqui já deve ter ouvido falar que o consórcio não tem juros. E esta é uma VERDADE, apenas uma das vantagens que torna este tipo de segmento financeiro tão vantajoso. Ao fazer o consórcio você paga apenas a parcela referente à sua cota, somada a taxa administrativa e o fundo de reserva. Neste artigo, nós vamos falar sobre o que são estas duas cobranças, qual a sua função e como elas são calculadas.

Taxa Administrativa

É a cobrança referente à remuneração da empresa administradora do consórcio, pela formação, organização e administração dos grupos. A taxa é inferior às cobranças de juros existentes em financiamentos, o que torna o consórcio mais econômico para aquisição de bens. A taxa é expressa no contrato e o percentual total é diluído pelo período da cota, que pode variar entre 80 e 120 meses em caso de veículos e de 180 a 200 meses para imóveis.

Isso quer dizer que, se a taxa for de 15%, por exemplo, e o consórcio for de 80 meses, basta dividir 15 por 80, para saber o percentual de pagamento mensal que neste caso seria de 0,18%.

Fundo reserva

O Fundo de Reserva é uma cobrança que visa garantir a saúde financeira do grupo e evitar que certas circunstâncias atrapalhem o seu andamento. A cobrança é prevista em contrato, e o percentual pago na parcela servirá para as seguintes situações:

  • Cobertura de eventual insuficiência de receita às assembleias de contemplação;

  • Para uma reserva financeira caso ocorra um nível de inadimplência no Grupo;

  • Para cobertura da devolução aos desistentes;

  • Para pagamento de débito do consorciado inadimplente, após esgotados todos os meios de cobrança.

 

Já que o Fundo de Reserva tem objetivo único e exclusivo para as situações citadas acima, cabe ressaltar também que a existência de eventual saldo do Fundo de Reserva, ao término das operações do Grupo é dividido entre todos os participantes, na proporção de sua contribuição.

Agora que você já conhece o objetivo de cada cobrança, acesse o nosso site e faça uma simulação para comprar os seus bens e fazer um excelente investimento financeiro para a sua vida.

Acesse https://hsconsorcios.com.br/simulador

HS_lauda_22-01

Conquiste os seus objetivos com o consórcio

O consórcio é uma modalidade financeira colaborativa onde um grupo de pessoas que possui um objetivo de compra semelhante (imóvel, veículo ou serviço), paga um valor mensal para realizar a compra do bem dentro das mesmas condições que os outros participantes do grupo. Após a contemplação, o valor é determinado para a compra de qualquer bem dentro do segmento escolhido previamente pelo consorciado.

 

Conheça as vantagens do consórcio, e conquiste os bens dos seus sonhos!

Compra programada

Com o consórcio você planeja a compra do seu bem, seja imóvel ou veículo a médio e longo prazo. Sem sobrecarregar o orçamento, ele possibilita a compra entre o primeiro e último mês do período do consórcio que pode variar de 36 a 120 meses para veículo e de 100 a 200 meses para imóvel.

Sem juros

Com a HS Consórcios você paga apenas a parcela mensal sem juros até o fim do seu plano. O pagamento da taxa administrativa é composta pelo fundo de reserva e taxa de manutenção da administradora, com a opção de pagamento do seguro.

Investimento

Devido às inúmeras vantagens e a ausência de juros, o consórcio é considerado um excelente investimento para o seu futuro. Você pode optar por investir no mercado imobiliário, e existe ainda a possibilidade de participar de grupos exclusivos para investimento. Faça uma simulação e consulte um corretor autorizado para saber mais.

Planejamento Financeiro

Para quem tem dificuldade em guardar dinheiro, o consórcio também é uma ótima opção, já que ele se torna uma poupança “forçada” com o pagamento mensal e um rendimento superior à poupança. A HS Consórcios é a melhor opção, pois com o pagamento da metade da parcela, o valor mensal não compromete o orçamento e você consegue conquistar seus bens enquanto mora de aluguel ou faz outros tipos de investimentos.

Parcelas e prazos

O consórcio é uma forma de adquirir um bem com parcelas que cabem no seu bolso já que você pode escolher a cota de acordo com seu objetivo e possibilidade de investimento. Os prazos de 36 a 200 meses variam de acordo com o segmento da carta de crédito (imóvel ou veículo) e  não comprometem o seu orçamento.

Livre escolha

Dentro do segmento de veículos, você pode adquirir carros, camionetas, utilitários, motocicletas, motonetas, caminhões e ônibus de todas as marcas de modelo com até 10 anos de uso. No segmento de imóveis, casa e apartamento na localização de sua preferência, imóvel comercial, terrenos e reforma de imóvel estão dentro das possibilidades de compra.

Poder de compra

A carta de crédito contemplada possibilita a negociação do seu bem à vista, podendo desta forma obter possíveis descontos, garantindo um maior poder de compra.

 

Gostou das dicas? O primeiro passo para fazer um consórcio é realizar uma simulação em nosso site. >>> https://hsconsorcios.com.br/

 

HS_lauda_12-01

Dicas para conquistar o seu primeiro carro

O primeiro grande objetivo de muitos jovens é conquistar o primeiro carro. Seja para ter um pouco de liberdade ou para se locomover até o trabalho ou a faculdade, comprar um veículo exige planejamento e responsabilidade. Confira as nossas dicas e comece a planejar, hoje mesmo, a compra dos seus sonhos.

Faça um planejamento financeiro

Organizar as finanças é o primeiro passo para conquistar o seu primeiro carro. Defina quanto você pode investir mensalmente a partir dos seus ganhos mensais. Aqui fica uma dica importante: quanto mais cedo você começar a planejar o seu investimento, melhor. Caso você já trabalhe com 16 anos pode pedir uma ajuda aos seus pais para fazer um consórcio e começar a planejar o seu investimento.

Defina o valor do investimento

Defina o valor que você pode investir mensalmente na conquista do seu carro. A partir da definição do valor, você saberá se pode comprar um carro novo, seminovo ou usado e começar a “namorar” o veículo dos seus sonhos.

Faça uma pesquisa de mercado

Após fazer o seu planejamento, você já saberá o quanto pode investir mensalmente, e já começa a pesquisar os veículos que se encaixam no seu orçamento. Pesquise os veículos nos sites das montadoras para iniciar a sua busca. Lá você encontra inúmeras informações sobre opcionais, potência, consumo, entre outros. Consulte sites e blogs especializados que fazem avaliações de carros destacando pontos positivos e negativos. A partir disso, pesquise em sites de concessionárias os veículos disponíveis e seus respectivos valores e opcionais. Seja para compra de um veículo novo ou usado, a pesquisa prévia ajuda muito na tomada de decisão.

Entenda a suas necessidades

Você precisa do carro para trabalho, lazer ou estudo? Pense quais as suas necessidades no dia a dia e fique atento a potência, consumo e opcionais do veículo. Se é para trabalho você precisa levar alguma coisa no carro? Vai rodar muito no dia a dia? O consumo é um item indispensável neste caso. Faça uma lista das suas prioridades.

Considere os gastos mensais com o veículo

É um erro muito grande considerar apenas a parcela do veículo, sem calcular despesas com seguro, combustível e demais gastos que o veículo pode ter. Se você não considerou estes gastos, volte ao item 1 “planejamento financeiro” e faça uma projeção nos custos mensais.

Verifique as condições do veículo

Se optar pela compra de um veículo usado, verifique se existe a opção de levar o veículo até uma mecânica de confiança para um check up completo do estado do veículo. Por lá eles conseguem verificar o estado da lataria e mecânica do veículo. Este processo é muito importante para saber o estado real do veículo que vai além da parte estética. Em alguns casos os veículos foram bem cuidados por fora, mas não passaram corretamente pelas manutenções periódicas e isso pode significar um prejuízo futuro para você.

Adquira através do consórcio

O último item é, na verdade, o mais importante! Para conquistar o seu primeiro veículo, a melhor opção é fazer um consórcio. Com as vantagens da HS Consórcios você pode escolher a parcela que cabe no seu bolso com os melhores prazos, e o melhor, sem pagar juros, nem taxa de adesão. Gostou?

 

Acesse o nosso site e faça uma simulação agora mesmo.

https://hsconsorcios.com.br/

HS_lauda_19-12

Planejamento financeiro: saiba como fazer o seu

Para conquistar os seus objetivos é preciso saber exatamente para onde vai o dinheiro, e é aí que entra o planejamento financeiro. Ele é importante para entender os seus gastos e criar estratégias para alcançar os seus sonhos, não importa o tamanho deles.

O planejamento financeiro é o melhor passo para conquistar um futuro mais tranquilo para você e as pessoas a quem ama. Você pode estabelecer objetivos de curto e longo prazo com os investimentos certos para o crescimento do seu patrimônio.

Começando um planejamento financeiro

Gerenciar as suas finanças pessoais ou familiares sem um planejamento, é o mesmo que dirigir em uma estrada com os olhos vendados. É uma tarefa muito perigosa! A pandemia aumentou o desemprego e muitas famílias tiveram que optar por manter o emprego de um dos cônjuges para que o outro pudesse ficar em casa com os filhos. Este ano causou uma reviravolta muito grande nas finanças de grande parte das pessoas, mostrando, mais uma vez, a importância de ter um planejamento e uma reserva financeira.

Mantenha o controle do que você recebe, do quanto você gasta e do valor que pode ou está disposto a investir mensalmente. Avalie a sua renda mensal e primeiramente se pergunte: o valor que eu ganho é o bastante? Nesta etapa você pode avaliar se ganha e acordo com o trabalho que desempenha para avaliar uma possível troca de emprego. Se este não é o seu caso, você pode ainda avaliar formas de adquirir uma renda extra. Isso tudo vai depender de suas habilidades, formação e ideais profissionais.

A segunda opção é cortar custos, e apesar de pensar que pode ser difícil, sempre é possível manter um padrão de vida, mesmo que você troque algumas atividades por outras de menor valor, é apenas uma questão de equilíbrio. É nesta etapa que você começa a encontrar soluções para guardar dinheiro e encontrar a tão sonhada estabilidade financeira.

 

Esteja atento aos seguintes passos:

  • Agrupe ganhos e custos;

  • Avalie suas dívidas buscando possíveis negociações;

  • Minimize gastos e aumente os ganhos;

  • Guarde dinheiro;

  • Defina objetivos a curto, médio e longo prazo;

  • Invista o dinheiro conforme os seus planos.

 

  1. Separe suas despesas fixas das variáveis

É de suma importância que você saiba exatamente qual o seu custo mensal fixo como aluguel, combustível, alimentação, gás e outros. As despesas variáveis são aquelas que você não tem como prever o custo exato, mas elas podem estar relacionadas a lazer ou a imprevistos com a manutenção do veículo, por exemplo. As despesas variáveis também são importantes e para que você não extrapole, deve prever um teto máximo para este gasto, de forma que ele caiba no orçamento sem pesar.

Falando em proporção, pense na regra do 50-30-20. A regra serve como base para controlar as suas finanças, prevendo que 50% dos seus gastos são destinados às despesas fixas, 30% aos gastos variáveis e 20% deve ser destinado a investimentos.

  1. Prefira pagamentos à vista

O cartão de crédito é uma excelente opção se você souber usá-lo. No entanto, ter o compromisso consigo mesmo de pagar as contas à vista pode evitar gastos em momentos inoportunos e ainda pode render bons descontos. Pechinchar nos pagamentos à vista é algo que deve entrar na sua rotina, para economizar sempre que possível. Caso você opte pelo uso do cartão de crédito, mantenha sempre o controle dos gastos. Os aplicativos dos bancos são excelentes ferramentas para manter os gastos controlados, caso você opte por este meio de pagamento.

  1. Organize os seus objetivos

Trocar de carro, sair do aluguel, seja qual for o objetivo, eles devem estar divididos a curto, médio e longo prazo. Os de curto prazo devem respeitar um tempo limite de 6 meses, e é aí que entram o pagamento de dívidas. Já os de médio e longo prazo serão superiores a 12 meses e podem ser desde o planejamento de uma viagem, até a compra de uma casa ou o pagamento de uma faculdade. Tenha isso bem definido para traçar um plano e alcançá-los.

  1. Pratique a educação financeira

Caso o seu planejamento seja familiar, mostre a todos os objetivos pelos quais estarão abrindo mão de pequenas coisas no dia a dia. Estabeleça metas realistas e vá mostrando aos seus familiares que a conquista será gradativa e trará bons frutos a todos no futuro. Crianças conscientes tendem a se tornar adultos mais responsáveis, e quanto mais cedo elas começarem a lidar com questões financeiras, melhor será para elas no futuro.

Gostou das dicas? O consórcio é uma das melhores formas de colocar o seu planejamento financeiro em prática e investir nos seus objetivos! Com a HS Consórcios você não precisa dar entrada, não paga juros e pode optar por pagar meia parcela até a contemplação. Acesse o nosso site e faça uma simulação para definir quanto você pode investir por mês.

>>> https://hsconsorcios.com.br/simulador

HS_lauda_09-12

Vai viajar nas férias? Confira as dicas para fazer a revisão veicular e sair com segurança.

O final de ano está chegando, e ainda que seja um ano atípico, muitas pessoas vão pegar

a estrada para visitar seus familiares, ou para descansar alguns dias longe de casa com todos os cuidados necessários.

Na correria do dia a dia, as vezes esquecemos de ficar atentos a alguns itens do carro que merecem atenção, por isso, confira nossas dicas e viaje com a sua família em segurança!

Revisão automotiva: o que é?

A revisão veicular tem como objetivo avaliar o desempenho do carro, de forma a prevenir problemas futuros e a resolver desgastes do sistema ou das peças. Ela garante a segurança para trafegar, evitando acidentes que podem ser causados por falta de manutenção. Pode parecer besteira, mas a falta de manutenção veicular está entre os principais motivos de acidentes que podem ser causados desde pneus desgastados até falhas em sistemas de freio e direção.

Para realizar a manutenção preventiva, todos os itens do carro devem ser checados sempre que possível. Para viajar, pelo menos 7 itens devem ser conferidos para sair com segurança:

  • Alinhamento e calibragem dos pneus

Os pneus são essenciais para garantir uma boa dirigibilidade e também segurança. Mantenha a calibragem em dia, pelo menos duas vezes ao mês e determine conferências periódicas do alinhamento e balanceamento para que o desgaste ocorra de maneira uniforme. Pneus desalinhados podem “gastar” de forma irregular, diminuindo a sua vida útil.

  • Fluído de freio

O fluído de freio é responsável por transmitir a pressão do pedal até as rodas, o que significa que o nível baixo é responsável por “cortar” a comunicação do sistema, ou seja, é um dos itens de maior importância para ficar atento. A substituição do fluído é recomendada a cada 10 ou 20 mil quilômetros, fique de olho no manual do seu carro e peça sempre para o mecânico conferir o nível independentemente da quilometragem.

  • Troca de óleo

O óleo é responsável por manter o motor e suas peças lubrificadas, e atua na prevenção do desgaste, da oxidação e da corrosão das peças. Por este motivo é de extrema importância que seja sempre renovado seguindo as instruções do manual do veículo, a cada 5 ou 10 mil quilômetros. Fique atento também ao nível mínimo e troque vez sim, vez não o filtro do óleo.

  • Suspensão e amortecedores

O sistema de suspensão inclui a inspeção dos amortecedores, molas, terminais, bandejas, entre outros itens interligados. O mau estado das estradas contribui, e muito, para um desgaste mais rápido, por isso a importância dos amortecedores que são responsáveis por absorver os impactos, garantido a estabilidade do veículo e o conforto dos ocupantes. Se um dos amortecedores estiver com defeito, o ideal é que seja trocado o par, a fim de manter o equilíbrio da suspensão nos eixos.

  • Radiador

A água do sistema de arrefecimento do veículo dura em torno de 30 mil quilômetros, mas o nível deve ser conferido pelo menos a cada 15 dias. O nível da água é de suma importância para que não haja o superaquecimento do sistema. Em carros mais antigos este controle deve ser ainda maior, e caso o nível baixe com frequência, é importante levar o carro até um mecânico para identificar o problema.

  • Bateria

A bateria é um dos itens mais importantes do carro e possui um desgaste silencioso. Devido o número de itens tecnológicos nos carros novos, ela tem uma importância ainda maior, já que demanda mais energia. Verifique a carga da bateria, assim como o seu sistema periodicamente para não ficar empenhado.

  • Sistema de embreagem

A embreagem é outro item que precisa de atenção. Pedal duro, ruído excessivo e trepidação são alguns dos sinais de que o sistema de embreagem está precisando de manutenção. No dia a dia, cuide a forma como você dirige, deixar o pé levemente apoiado sob a embreagem causa um desgaste mais rápido.

 

Agora que você já sabe os principais itens a revisar, converse com o seu mecânico de confiança e realize a manutenção necessária para botar o pé na estrada.

 

HS_lauda_23-11

8 motivos para comprar uma chácara

O ano de 2020 se tornou propício para alimentar o desejo de ser proprietário de um refúgio. Afinal, ter um local para relaxar e buscar mais qualidade de vida, com o espaço que você sempre sonhou pode ser muito legal. Se você está pensando em comprar uma chácara, confira as nossas dicas e resolva de uma vez por todas.

  1. Ajuda a fugir da rotina

Um dos principais motivos exaltados por quem compra uma chácara, é poder sair da rotina agitada do dia a dia. Ter um lugar seu, com as suas coisas, mas com a possibilidade de passar o final de semana, feriado ou até das férias em meio a calmaria é o desejo de muitos, especialmente para quem mora em apartamento ou não possui um pátio com espaço suficiente para atividades ao ar livre. Além disso, o estresse causado pelo trabalho e pelo trânsito diário, já seria argumento suficiente para quem gosta de ficar em lugares mais isolados.

  1. Fonte de renda extra

Você nem imagina quantas pessoas estão dispostas a passar um final de semana em meio a tranquilidade, e uma opção viável para quem é proprietário de chácara, é alugar para finais de semana. Com aplicativos como o Airbnb, por exemplo, você pode disponibilizar a sua casa, garantindo assim uma graninha extra no final do mês. Além disso, o dinheiro pode ser uma fonte de ajuda para a manutenção do local, evitando assim, pesar no seu bolso. Outra forma de obter renda é através de atividades agropecuárias, como a criação de animais e plantações. É claro, que isso demanda mais tempo e dedicação, mas pode ser uma boa opção até mesmo para a sua aposentadoria.

  1. Praticar os seus hobbies

Além de ser um excelente lugar para receber os amigos e familiares, você ainda pode colocar em prática os hobbies que sempre teve vontade de fazer. Leitura, jardinagem, criar animais, ter uma horta, nadar e até mesmo dedicar-se a culinária. Basta adaptar o local de acordo com a suas vontades.

  1. Ter mais privacidade

A privacidade é mais um dos motivos para ter uma chácara. Além dos vizinhos estarem mais distantes, e pode ainda realizar às suas comemorações sem incomodar os demais a sua volta.

  1. Você pode personalizar a seu gosto

As casas de campo costumam fugir dos padrões da cidade. Cabanas, chalés de madeira e casas no tamanho e formato que você quiser. Ao contrário da cidade onde você precisa projetar de acordo com os limites do seu terreno, o espaço na chácara traz novas possibilidades. Além da casa, se você sempre sonhou com um jardim bonito e arborizado, essa é a sua chance. E que tal um lago de carpas? Basta imaginar, planejar e colocar as suas vontades em prática.

  1. Você pode usar quando quiser

Ao contrário de ir até um hotel fazenda, a chácara é sua e você pode aproveitá-la quando quiser. Sendo proprietário, fica a seu critério, quando ir, sem a necessidade de grandes planejamentos e economizando em outros gastos que você teria.

  1. Você pode ter a sua horta

Ter uma horta própria pode ser um hobbie, mas também pode ir muito além disso. Para quem busca uma vida mais saudável, plantar os seus próprios alimentos, sem agrotóxicos e da forma mais natural possível, é uma grande ideia. Afinal, você pode inclusive, colher no final de semana e consumir ao longo da semana com a sua família em casa, garantindo uma alimentação mais saudável e menos gastos com mercado.

  1. Liberdade de uso

A oitava dica reúne todas as outras para afirmar que comprar uma chácara ou sítio é garantia de liberdade para fazer o que quiser. Basta escolher o local adequado às suas vontades. Quer uma vista bonita? Sempre sonhou em ter uma açude? Escolha o lugar que atende às suas vontades e seja feliz!

Gostou das dicas? Você sabia que pode adquirir a sua chácara com o consórcio? Acesse o nosso site e faça uma simulação https://hsconsorcios.com.br/

HS_lauda_09-11

Black Friday: Aproveite os descontos de forma inteligente

A Black Friday é uma data de origem americana que abre a temporada de compras de natal. No Brasil ela foi adotada há alguns anos pelo varejo com o objetivo de alavancar as vendas no período. Infelizmente, algumas empresas se aproveitam do período para lançar descontos enganosos e aumentam os preços semanas antes para então baixar no período de promoção. Mas aí você se pergunta, como fazer para não cair em uma furada? Se você está namorando há tempos aquele eletrodoméstico ou outro objeto de seu interesse, confira o nosso artigo com dicas para não cair em uma roubada e estragar o seu planejamento financeiro.

 

  1. Acompanhe os preços

Caso você tenha intenção de comprar algum eletrodoméstico ou outro item, passe a acompanhar os preços em sites por pelo menos dois meses antes da Black Friday. Isso vai servir de termômetro para saber os preços e se os descontos são “reais”. Uma forma prática de acompanhar, é usar sites que comparam preços como Buscapé e Zoom. Além de criar alertas, com eles, você tem um parâmetro geral dos valores entre as lojas.

  1. Verifique se a loja é confiável

Além de acompanhar os preços, fique de olho em sites confiáveis. Apesar de ser um período com bons descontos, desconfie de preços “milagrosos”. Para saber se o site é confiável, verifique se ele possui o certificado SSL que protege os dados dos usuários. O site deve possuir o S após o HTTP formando HTTPS, isso garante que o site usa uma conexão segura com servidor. Fique atento às dicas:

  • Confira o domínio e a URL

  • Pesquise a reputação e histórico do site

  • Busque por selos de segurança

  • Consulte a política de privacidade

  • Confirme as informações de contato

  • Proteja-se de vírus

Mesmo sites que aparentemente são de grandes cadeias varejistas podem ser fraudes, por isso verifique o domínio do site e o seu layout como um todo. Confira se não existem erros de português e desconfie de cada detalhe. Para verificar a reputação da loja, consulte sites de reclamação como o RECLAME AQUI, além de verificar as informações e avaliações no Google Meu Negócio, nos canais oficiais do Procon e nas redes sociais da empresa.

  1. Formas de pagamento

Para evitar fraudes, prefira realizar o pagamento através do cartão de crédito, mesmo que você efetue a compra no valor à vista. Caso tenha problemas com a compra, é mais fácil realizar estornos ou bloquear o pagamento. A forma de pagamento também é uma maneira de identificar sites suspeitos. Não feche a compra caso o site aceite pagamento apenas em boleto ou transferência bancária. Nestas modalidades, não é possível fazer estorno do dinheiro caso haja algum problema.

  1. Tenha foco no seu planejamento financeiro

A primeira pergunta que você deve se fazer é: eu realmente preciso deste item? Evite comprar por impulso ou apenas por estar com um bom desconto. Muitos objetos interessantes e desnecessários para você vão estar em promoção. Faça uma lista daquilo que você realmente precisa comprar, para não se endividar. Compre apenas o necessário e dentro do seu orçamento. Organize os itens da lista por prioridade, estipulando o valor máximo a ser gasto. Se encontrar uma oportunidade “imperdível”, avalie se o desconto obtido nos outros itens permite a compra.

Lembre-se: o planejamento é o segredo de boas compras e do seu futuro financeiro.

  1. Fique de olho no frete e no prazo

Compare os preços do frete e do desconto de uma loja para outra. Em inúmeros casos o desconto não compensa devido o alto valor do frete, e assim o que pode parecer vantajoso, deixa de ser no preço final. Some o valor final do produto com desconto + o frete de uma loja para outra, para que desta forma, você aproveite a compra com a certeza de um bom negócio. O prazo de entrega também deve ser avaliado conforme a necessidade do produto que você está comprando, já que, devido o volume de vendas, em algumas lojas pode demorar mais para você receber o seu pedido. Por isso, esteja atento aos prazos e monitore a entrega caso haja atrasos. É importante que os itens que serão entregues em casa estejam com a data de entrega registrada na nota fiscal do produto. Ao receber o produto, certifique-se que o item comprado esteja em perfeitas condições. Abra-o ainda na presença da transportadora responsável e, em caso de avarias, não o receba, justificando o problema ao entregador.

  1. Denuncie fraudes

Em caso de irregularidades e divergências no preço anunciado e no valor final da compra, tire um print da tela e denuncie imediatamente ao Procon. Assim, além de não cair em uma roubada, você evita que outras pessoas caiam também. Boas compras! ☺