Arquivos mensais: março 2017

Como funcionam os grupos de consórcio?

Como funcionam os grupos de consórcio?

Se você tem interesse em consórcios, com certeza já ouviu falar em “grupo de consórcio”. Mas você sabe do que se trata? Não? Tudo bem, a gente explica.

Para quem vai começar o investimento, é bem importante entender o conceito. Um grupo de consórcio trata-se de um grupo de pessoas, físicas ou jurídicas, que visam a conquista do mesmo bem. Quando você inicia o consórcio, o valor da sua parcela se dá de acordo com o bem final que você deseja adquirir. No grupo de consórcio serão reunidas pessoas com este interesse em comum. Elas, então, formam um grupo e devem depositar mês a mês o valor referente à parcela escolhida em um fundo comum.

Todos os consorciados de um grupo são contemplados, é claro. Porém, a ordem da contemplação – quando antecipada – ocorrerá por meio do sorteio ou  lances  durante as assembleias.

Como entro para um grupo de consórcio?

Há duas formas de fazê-lo: entrar em um grupo que está iniciando ou um grupo em andamento.

  • Novo grupo: Você ingressa no grupo no momento em que a administradora está reunindo as pessoas e nenhuma assembleia aconteceu. Assim, é melhor de se organizar economicamente e de receber todas as informações relativas ao grupo.

  • Grupo em andamento: Dentro dessa modalidade, há duas formas de ingresso.

    • Entrar em um grupo por cota vaga ou de reposição – A cota é comprada diretamente com a administradora e diz respeito a uma cota que não foi vendida ou de algum consorciado que saiu do grupo. Nesse caso, você deverá quitar o número de prestações pagas pelos demais participantes.

    • Entrar em um grupo pela cota de um terceiro – Nessa situação, a transferência deve ser autorizada pela administradora. O contato deve ser feito com o interessado na venda da cota e você deve assumir integralmente os direitos e as obrigações de contrato.

Independente da forma como você pretende ingressar em um grupo, na HS Consórcios, nós temos o melhor investimento para você e as melhores parcelas do mercado! Interessado em começar um consórcio? Faça a simulação agora mesmo através do nosso site.

 

Aprenda a declarar o seu veículo no Imposto de Renda

blog_veiculo

Se você é obrigado a declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física (saiba mais), qualquer veículo que você possua deve ser incluído nos valores declarados.

É um processo bem simples, mas você não deve esquecê-lo.

  • Acesse a ficha Bens e Direitos do formulário;

  • Em seguida, escolha o código 21 – veículo automotor terrestre;

  • Em Discriminação, informe a marca, modelo, ano de fabricação, placa ou registro, data e forma de aquisição do carro.

  • Se o veículo foi adquirido em 2016, deixe o campo Situação em 31/12/2015 em branco e preencha apenas o referente à 2016. Caso contrário, repita as informações declaradas no ano anterior.

  • Se você não possui mais o veículo, deixe em branco o campo Situação em 31/12/2016 e informe a venda em Discriminação, incluindo o CNPJ ou CPF do comprador.

Ainda não possuo o veículo, mas estou pagando consórcio. Devo declarar?

Sim. Você não pode declarar um veículo que ainda não tem, mas pode informar os valores gastos com o investimento. Em Bens e Direitos, preencha o gasto feito durante o ano com o código 95 – Consórcio não contemplado.

Fique atento ao prazo de 28 de abril e não deixe de declarar seu Imposto de Renda.

Leia mais: Saiba como declarar seu imposto de renda

Saiba como declarar seu Imposto de Renda

Imposto de Renda

Desde o dia 02 de março, está aberto o prazo para a declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física 2017. É importante lembrar que o quanto antes você fizer a declaração, mais cedo terá a restituição. O prazo termina em 28 de abril.

Onde declaro?

Você deve utilizar o programa gerador de declaração. Há duas opções: fazer o download no seu computador ou instalar o app, disponível para Android e iOS. Saiba mais aqui. Se você já tem o programa, basta atualizá-lo em Menu > Ferramentas > Verificar Atualizações.

É possível importar os dados da declaração passada, basta atualizar eventuais informações e registrar as novas transações.

Quem é obrigado a declarar o IRPF?

Você deve declarar o Imposto de Renda se:

  • Teve renda anual superior à R$ 28.559,70 ou recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, com soma superior à R$ 40.000,00;

  • Teve ganho de capital ou operação de bolsa de valores;

  • Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto seja destinado à aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda;

  • Obteve renda bruta anual em atividade rural superior à R$ 142.798,50;

  • Pretende compensar no ano-calendário de 2016 ou posteriores os prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2016 – relativo à atividade rural;

  • Teve posse de bens e direitos, inclusive terra nua, de valor superior à R$ 300.000,00;

  • Passou à condição de residente do Brasil e se encontrava nesta situação em 31 de janeiro de 2016.

Leia mais no site da Receita Federal.

Caso você não se enquadre nos pontos acima; seja dependente em declaração de outra pessoa física; ou teve a posse de bens e direitos, mas tem os bens comuns declarados pelo cônjuge e valor de bens privativos que não exceda R$ 300.000,00, você está dispensado da Declaração de Ajuste Anual do IRPF 2017.

Quais documentos devo ter em mãos?

  • Informes de rendimento do empregador;

  • Informes de rendimento de bancos;

  • Informes de gestoras e corretoras;

  • Comprovantes de rendimento e pagamento de aluguéis;

  • Comprovantes de despesas médicas e odontológicas;

  • Comprovantes de despesas com educação – material escolar, atividades extracurriculares e cursos de idiomas não inclusos;

  • Carnês de contribuição ao INSS de empregados domésticos;

  • Comprovantes de processos judiciais;

  • Comprovantes de doações incentivadas.

Saiba mais aqui.

Importante: documentos apresentados na declaração do IR devem ser guardados por cinco anos, contados a partir de 1º de janeiro do ano seguinte. Se a declaração cair na malha fina, esse prazo de cinco anos é contado a partir de dois anos da data de entrega.

É possível retificar os documentos entregues?

Caso haja erros, negligência ou imprecisões, pode ser entregue uma declaração retificadora sem multa. Porém, a pessoa que o fizer ficará entre os últimos lotes de recebimento da restituição, já que a data desta última declaração se sobrepõe à original.

O que acontece se não cumprir o prazo?

Se você não entregar a declaração do IR até 28 abril, deve enviá-la com atraso e terá de pagar multa. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74 e pode chegar a 20% sobre o total devido de 2016. A multa é deduzida do valor da restituição.

Quando serei restituído?

O calendário de restituições de 2017 já foi divulgado. O pagamento será feito em sete lotes, de junho a dezembro.

  • 1º lote – 16 de junho

  • 2º lote – 17 de julho

  • 3º lote – 15 de agosto

  • 4º lote – 15 de setembro

  • 5º lote – 16 de outubro

  • 6º lote – 16 de novembro

  • 7º lote – 15 de dezembro

Sem juros, o consórcio é a melhor opção de investimento

hs_marco_blog

O boom do consórcio no Brasil começou em 2015, quando ocorreram os primeiros sinais da recessão. Com a disponibilidade baixa de crédito por parte dos bancos, o consórcio se apresentou mais atraente e acessível para quem desejava investir no seu futuro. Só naquele ano, a aquisição de bens e serviços na modalidade foi de 13,9%.

Apesar da melhora no cenário econômico, o consórcio segue uma forte opção. Graças a suas parcelas mais leves para o bolso e, principalmente, a isenção de taxas de juros, o brasileiro tem preferido apostar na categoria, o que revela uma mudança de comportamento, favorável à opção que traz menos burocracia e complicações com juros. Comparado ao financiamento, por exemplo, o consórcio apresenta economia mensal de mais de 40% do valor!

Em 2016, foram 2,04 milhões de novas cotas em todo o país. A estimativa para 2017 é extremamente positiva. Com a HS Consórcios, você se planeja, opta pelas parcelas que melhor se encaixam no seu orçamento e ainda tem a possibilidade da meia parcela e de acelerar a contemplação. Faça sua simulação conosco e dê o primeiro passo para adquirir seu bem.