Todos os posts de Marketing

HS_lauda_25-09

Tipos de consórcio: saiba o que você pode adquirir em cada modalidade de consórcio

Quem planeja o futuro sempre vê como a melhor alternativa o consórcio para investir nos seus projetos. A facilidade na hora de fazer o consórcio e o fato de não cobrar juros, apenas taxas administrativas, são algumas das principais vantagens. Fazer um consórcio pode ser comparado a uma poupança conjunta, destinada a aquisição de bens móveis ou imóveis por meio do autofinanciamento de um grupo. Isso quer dizer que a parcela mensal de cada um do grupo forma um fundo, em que todos serão contemplados através de sorteio ou lance, ao longo do período definido em contrato.

As modalidades da HS Consórcios são de Investimento, Imóveis e Veículo, mas estas três possibilidades permitem a compra de bens que podem ser:

 

Investimento

Além de ser uma excelente opção para quem busca investir sem riscos, a modalidade de investimento da HS Consórcios é uma forma de se disciplinar financeiramente e ainda obter lucros com isso. Com grupos específicos que visam o investimento, você tem a possibilidade de aumentar o seu patrimônio, garantindo um futuro mais tranquilo para você e sua família. O investimento pode ser destinado para o ramo imobiliário que pode ser feito no Brasil ou no exterior, ou você pode garantir ainda um lucro considerável com a venda da carta contemplada.

 

Imóveis

A modalidade de imóveis possibilita que você compre uma casa pronta no interior, na serra, litoral ou na cidade de sua escolha. Você pode ainda comprar um terreno em área rural ou urbana, apartamento, imóvel comercial, ou uma das possibilidades mais utilizadas, a reforma. O consórcio de bem imóvel é utilizado por mais de 50% dos consorciados para a contratação de serviços com o objetivo de reformas, segundo uma pesquisa da ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios. Para quem não tem pressa, o consórcio é a melhor opção, com uma parcela que cabe no bolso e possibilita mais de um investimento ao mesmo tempo, além de prazos de pagamento estendidos, possibilidade do uso do FGTS para dar lances ou para amortizar parcelas. O consórcio contemplado, é o mesmo que ter dinheiro em mãos, o que traz uma série de vantagens para os consorciados, que podem negociar a compra do bem imóvel à vista, garantindo melhores preços e ofertas para o negócio que pretendem fechar.

 

Veículos

No Consórcio de Veículos da HS Consórcios, você pode planejar a compra do seu carro novo ou seminovo, caminhão, carreta, nacional ou importado, para você ou para sua Empresa, em prazos de até 120 meses. É a opção perfeita para quem deseja adquirir uma frota para sua empresa, ou atualizar a frota existente. Entre as vantagens está a ausência de juros e a possibilidade de dar o veículo usado como lance no consórcio, aumentando as chances de contemplação. Você tem ainda liberdade de escolha para comprar o veículo que desejar, no local de sua escolha, negociando a compra à vista, garantindo ótimos descontos.

Agora que você já conhece todas as possibilidades do consórcio, faça uma simulação no site ou fale com um dos nossos corretores autorizados. Nossa equipe de vendas está preparada para dar suporte e tirar todas as suas dúvidas sobre o segmento financeiro que mais cresce no país.

 

HS_lauda_08-09

Dicas de educação financeira para crianças

Dinheiro é assunto sério, e exatamente por isso o tema finanças deve ser ensinado desde cedo. A educação financeira é fundamental para que as crianças se tornem adultos responsáveis financeiramente, com visão para investimentos e poupadores por natureza. Para quem acha que esta é uma tarefa complicada, a gente garante que simples atitudes no dia a dia, independentemente da condição financeira familiar, possibilita um grande aprendizado.

 

Fale sobre dinheiro

Se você acha que os seus filhos são muito jovens para falar do dinheiro, saiba que desde conversas, até as suas atitudes no dia a dia podem ajudar a desenvolver um adulto com uma atitude consumidora consciente no futuro. Uma ida ao supermercado é suficiente para tocar no o assunto, sobre as necessidades de compra e como as condições financeiras afetam as nossas escolhas.

Ensine a diferença entre a vontade de ter algo e a real necessidade de possuir aquele objeto. A mesada é um excelente instrumento educativo para a compreensão do valor do dinheiro. Em idades de 3 a 5 anos, pode-se comprar um porquinho, ensinando a guardar moedas. É importante fazer com que a criança estabeleça um objetivo para o dinheiro que está guardando, podendo ser para a compra de determinado brinquedo ou até um passeio.

A partir dos 6 anos já é possível dar uma mesada, já que a criança já está envolvida com operações matemáticas na escola. Para estipular um valor devem ser considerados fatores como os hábitos familiares e a renda, mas é importante evitar exageros para que o processo educativo não se torne uma forma de esbanjar o dinheiro.

Abrir uma poupança em nome da criança também é uma opção para os maiores. Fazer com que elas estabeleçam objetivos e guardem o dinheiro, acompanhando os rendimentos até que consiga alcançar o que eles determinaram. Desta forma a criança aprende o valor do dinheiro e compreende um pouco da vida financeira dos pais.

 

Dicas para a independência das crianças:

  • Ensine o que é essencial: é indispensável que a criança saiba diferenciar o que é essencial do que é supérfluo, entendendo desde cedo a diferença entre querer e precisar.

  • Estabeleça limites e mostre os caminhos para as crianças, mas deixe-as escolher o que querem comprar com o valor da mesada. É importante que elas entendam o processo sem muita interferência dos pais.

  • Estimule seus filhos desde cedo a guardar parte da mesada, em uma poupança ou cofrinho.

  • Mostre a importância do planejamento financeiro para atingir os objetivos.

  • Seja um bom exemplo! As crianças são inteligentes e muito intuitivas. Elas percebem quando os pais pregam a importância de guardar dinheiro, mas possuem gastos desenfreados.

HS_lauda_13-08

Conheça as opções para investir no mercado imobiliário com o consórcio.

O mercado imobiliário passou por um aumento considerável de investimento nos últimos anos. Os períodos de crise, como o atual, é um excelente momento para adquirir imóveis, apesar de não ser favorável para quem está vendendo. Isso porque, quem vende em tempos de crise, geralmente é motivado pela necessidade financeira, fazendo com que o preço de venda caia. Já para quem compra é uma oportunidade de fazer bons negócios no ramo imobiliário.

Para quem não sabe como começar a investir nesta área, o presente artigo vai te ajudar, trazendo dicas e a melhor solução para o seu questionamento: Invista nesta área com o consórcio. Esta modalidade traz inúmeras vantagens financeiras para o seu investimento, já que dentre tantas vantagens ele é de longo prazo, ou seja, você tem a possibilidade de se planejar financeiramente, para no futuro, investir de forma eficaz.

 

O consórcio é visto como uma excelente opção, pois entre as suas principais vantagens está:

  • No consórcio você não paga juros nem entrada

  • Estimula o planejamento financeiro

  • Possibilidade de contemplações mensais

  • Oportunidades lucrativas

  • Flexibilidade de uso do crédito

 

E o que isso significa? Significa que você pode investir no futuro, mesmo sem ter uma grande poupança ou reserva de dinheiro guardada, e que você também pode escolher em qual área deste ramo é mais vantajosa para você. Conheça as possibilidades:

 

Compra, venda e aluguel de imóveis comerciais ou residenciais

A compra de uma casa ou apartamento possibilita mais de uma opção de investimento. Você pode obter renda através de aluguel ou da revenda desses imóveis. Com o aluguel é possível complementar a sua renda, pagar as parcelas de um novo consórcio e pode ainda guardar dinheiro com o objetivo de ofertar lances, ou quitar um consórcio já contemplado. Com a ajuda da HS Consórcios e a possibilidade de pagar meia parcela até a contemplação, é possível pagar mais de uma cota e ir construindo o seu patrimônio aos poucos.

 

Com a carta contemplada para o segmento de imóveis você também pode comprar terrenos em bairros novos, condomínios e locais com possibilidade de desenvolvimento, ou seja, que estejam bem localizados, próximos ou de fácil acesso a escolas, supermercados e indústrias. Este é um excelente investimento a considerar já que existem grandes chances de uma alta valorização. Lugares que estejam ainda em processo de urbanização, tendem a ser mais baratos no início, com projeção de valorização para um futuro próximo, o que garante vendas lucrativas.

 

Gostou das dicas? Acesse o nosso site e faça uma simulação sem compromisso!

https://hsconsorcios.com.br/

 

HS_lauda_26-06

Como funciona a alienação de bens em consórcio?

O consórcio é um segmento financeiro para quem busca investir ou comprar bens móveis ou imóveis da forma mais vantajosa possível. Sem pagar juros, com prazos estendidos e com segurança. Através de um grupo de pessoas que possui um mesmo objetivo, e de uma administradora responsável por gerenciar este grupo, o consorciado adquire seus bens com planejamento, ou faz um investimento para o seu futuro.

O investimento de longo prazo é escolhido por aquelas pessoas que desejam realizar a compra de um bem de alto valor agregado, sem pagar as altas taxas de juros dos financiamentos bancários.

Para quem está buscando entender melhor como funciona o passo a passo do consórcio, hoje vamos falar sobre a alienação de bens e quando ela ocorre para quem faz um consórcio.

 

Quando ocorre a alienação dos bens?

O processo de alienação dos bens é o meio pelo qual a administradora do consórcio garante que os bens adquiridos através da carta de crédito serão devidamente quitados pelos contemplados. Isso acontece, quando o consorciado é contemplado durante o período de pagamento do consórcio que ainda não tenha sido quitado. O processo é prático e seguro e foi escolhido para substituir a antiga hipoteca que envolvia grandes problemas em relação a inadimplência. A alienação traz vantagens tanto para o contemplado quanto para a administradora, por se tratar de um processo de garantia muito mais simples.

A pessoa que foi contemplada com o consórcio pode fazer uso do bem como desejar através de venda ou troca, porém a transação deve ser autorizada pela administradora, já que a propriedade judicial é do credor.

 

O que acontece se o consorciado não pagar as parcelas pendentes?

Em caso de inadimplência do participante do consórcio, a administradora pode cobrar judicialmente a devolução do bem, como forma de quitar a dívida. O período para tal execução está previsto no contrato assinado pelo consorciado e costuma ser de 60 dias, a contar da data do vencimento não pago.

 

Venda e troca de bens alienados

Em caso de venda de um bem alienado o consorciado pode optar pela quitação do consórcio, ou transferir o contrato para o comprador. A primeira opção é muito mais simples e menos burocrática. Em caso de transferência, a aprovação depende da administradora, que realiza uma análise de crédito e decide se aprova ou não a transação.

Já a troca de bens é mais simples de ser feita, basta que o novo bem, carro ou imóvel, se adeque às exigências contratuais da administradora. O valor deve ser igual ou maior que a dívida do consórcio e desde que não haja nenhuma restrição judicial que possa impedir a negociação. Em todas as modalidades, é obrigatório que o consorciado esteja com o pagamento das parcelas em dia.

 

Gostou das dicas? Se ficou alguma dúvida, fale com um dos nossos corretores autorizados. Encontre um perto de você no site https://www.hsconsorcios.com.br/onde-encontrar

 

HS_lauda_10-07

Investindo com consórcio: conheça as melhores opções para você

O cenário atual que estamos vivendo pode assustar algumas pessoas, que ficam com receio de fazer investimentos em tempos de crise. Mas para quem está antenado ao mercado financeiro, sabe que um período assim também pode despertar boas oportunidades, já que em períodos de crescimento econômico, há maior procura por investimentos, fazendo com que haja outras condições.

Ao longo dos anos, o consórcio tem se mostrado cada vez mais atraente para investidores que procuram por segmentos de longo prazo e baixo risco. Melhor que isso, o consórcio é um investimento com nenhum risco, o que traz segurança e rentabilidade para quem escolhe esta modalidade.

 

Ganhando dinheiro com consórcio

O investimento em imóveis é uma das principais opções para quem busca o consórcio como investimento. Afinal, em tempos de crise, quem está tentando vender imóveis pode ter dificuldades e até mesmo se frustrar com o possível lucro, o que abre precedente para quem está querendo comprar. O consórcio possibilita a negociação de compra do bem à vista, garantido poder de negociação e uma alta rentabilidade. Assim, com os estoques das incorporadoras recheados de opções, você pode negociar pensando no futuro e garantindo bons negócios. Por este motivo, mesmo em tempos de crise o consórcio continua sendo uma excelente opção de investimento, já que é uma possibilidade flexível, ou seja, pode se adaptar conforme a sua necessidade e continua sendo vantajoso, já que se trata de um investimento de longo prazo.

É claro que para que essa compra seja vantajosa, inúmeros fatores de mercado precisam ser analisados. Localização, custo de manutenção, ganho com aluguel, estrutura e demais pontos devem ser estudados ao pensar no retorno do seu investimento, colocado todas as possibilidades na ponta do lápis.

Outra forma de ganhar dinheiro com o consórcio, está na possibilidade de venda da carta contemplada. Esta é uma possibilidade legal, prevista no artigo 13 da lei 11.795/2008, “Os direitos e obrigações decorrentes do contrato de participação em grupo de consórcio, por adesão, poderão ser transferidos a terceiros, mediante prévia anuência da administradora”. Ou seja, desde que as obrigações financeiras do consorciado estejam em dia com a administradora, é possível passar a carta a terceiros, sabendo também que as obrigações financeiras restantes previstas em contrato serão de responsabilidade do novo consorciado.

O valor de venda do consórcio, pode variar se a sua cota já foi contemplada ou não. São considerados os reajustes realizados na carta de crédito, o valor já pago e mais o ágio, que se trata do lucro que você vai ter sob a operação financeira. De qualquer forma, seu corretor vai esclarecer as dúvidas e realizar a venda com tranquilidade e segurança.

 

Principais vantagens do consórcio

Sem juros, sem taxa de adesão e a possibilidade de pagamento de meia parcela até a contemplação. Estas são as principais vantagens da HS Consórcios. Ao comparar o consórcio com os demais tipos de investimento, uma de suas principais vantagens está na ausência do pagamento de juros. A soma da taxa administrativa e do fundo de reserva é inferior ao pagamento de juros dos financiamentos bancários. Por este motivo, destaca-e o consórcio como um investimento a longo prazo. Isso significa que, a comparação do consórcio com outras formas de pagamento a prazo, indica que o valor que será pago ao final do plano será mais baixo.

A falta da taxa de adesão significa que você começa a investir sem precisar pagar um valor de “entrada” por isso. Ainda que o financiamento não seja uma modalidade de investimento, devido a alta taxa de juros, esta é mais uma vantagem do consórcio.

A possibilidade de pagar metade da parcela até a contemplação, também é uma vantagem para que busca fazer um consórcio, mesmo tendo outros tipos de investimentos, ou até mesmo para quem busca adquirir a casa própria pagando aluguel.

 

Gostou das dicas? Acesse o nosso site https://www.hsconsorcios.com.br/ e faça uma simulação. É rápido, fácil e sem compromisso.

HS_lauda_26-06 (1)

Conheça as mudanças feitas pelo Banco Central durante a pandemia

Atendendo aos pedidos da ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio, o Banco Central publicou novas regras para formação de grupo pelas administradoras de consórcio e utilização do crédito pelos consorciados em meio a pandemia do Covid-19. Com o objetivo de se adequar a nova realidade das administradoras e consorciados, os pleitos solicitados foram atendidos pelo Banco Central, responsável pela normatização e fiscalização do segmento. A Circular 4009, editada pelo BCB realizou as seguintes mudanças:

Crédito em Dinheiro

Uma das mudanças permite que a retirada do crédito em dinheiro para grupos abertos até 29 de abril de 2020. Em caso do consorciado contemplado ter quitado o valor todo o saldo devedor da sua carta de crédito, a administradora poderá disponibilizar o crédito em dinheiro, caso seja o desejo do consorciado. A regra é válida para os contemplados que se enquadrarem nas normas, até o dia 31 de dezembro de 2020. Antes o consorciado precisava aguardar o prazo de 180 dias  partir da data da contemplação para receber o pagamento.

Prazo para formação de grupo

A formação de novos grupos pela administradora, é o processo em que a mesma ainda está reunindo o número necessário de consorciados para a sua formação.

A administradora tem ainda o prazo de 90 dias para a formação do grupo, contando da  data de assinatura do contrato pelo consorciado, podendo ser estendido a 180 dias, variando conforme a data de venda da cota.

  • Cotas vendidas até 30 de setembro de 2020: até 180 dias;

  • Cotas vendidas no mês de outubro: até 150 dias;

  • Cotas vendidas no mês de novembro: até 120 dias.

Essa nova regra requer que os grupos sejam constituídos até 31 de março de 2021. Caso o grupo não seja formado no período determinado, a administradora deverá devolver os valores pagos aos consorciados que aderiram, acrescidos dos rendimentos líquidos oriundos de aplicação financeira.

Créditos do grupo

Outra regra que passa a valer após a edição da circular, está na possibilidade da administradora formar grupos com créditos de diferentes valores, cujo crédito de menor valor não seja inferior a 30% do crédito de maior valor, com data limite de formação até 31 de março de 2021. Anteriormente, o percentual era de 50%. Essa possibilidade também vale para grupos com formação até 31 de março de 2021.

 

Em caso de dúvidas sobre as novas regras, a HS Consórcios está à inteira disposição para esclarecê-las! Fale com o seu corretor autorizado ou entre em contato através dos nossos canais de atendimento:

Ligue para (051) 3564 8400, acesse o nosso site https://www.hsconsorcios.com.br/ ou contate-nos nas redes sociais oficiais da HS Consórcios.

https://www.facebook.com/HSConsorcios/

@hsconsorciosoficial

HS_lauda_10-06

Investindo no exterior com a HS Consórcios: conheça as opções

Já pensou em comprar uma casa no exterior com o consórcio? Pois saiba que isso já é uma realidade com a HS Consórcios. Buscando aprimorar ainda mais o nosso serviço, oferecemos a possibilidade de compra no exterior, trazendo uma nova oportunidade para quem deseja mudar de vida em outro país. Confira as regras para fazer a aquisição usando o crédito do consórcio e realize os seus sonhos conosco!

Passo 1: Como funciona o processo de reembolso

Para iniciar o processo é necessário apresentar o contrato de compra e venda efetivada no exterior, com a devida tradução para o português. Assim, realizados os trâmites de compra e venda do imóvel, o contrato ou escritura é encaminhado para certificação em órgão competente no exterior, que realizará o apostilamento do contrato de compra e venda do bem imóvel.

Este serviço simplifica e torna mais rápido o trâmite internacional de documentos, um procedimento que se assemelha ao reconhecimento de firma no âmbito internacional e é realizado pelos países signatários da Convenção da Apostila de Haia, dentre os quais o Brasil faz parte.

Após o trâmite, o consorciado ou representante legal de posse do contrato, com a sua certificação, deverá encaminhar os documentos para tradução, que deve ser realizada por um tradutor certificado, com aval para tradução de documentos legais. Tal certificação é a confirmação da validade do contrato realizado.

 

Passo 2: Tradução do contrato de compra e venda de imóvel no exterior

Para legalidade da tradução deve-se procurar um tradutor juramentado de com fé pública, objetivando a confecção do documento a ser utilizado no processo de contemplação. O custo é tabelado variando de idioma estrangeiro para português e de português para idioma estrangeiro para textos simples – documentos civis e cartas, e especiais – textos jurídicos, técnicos, médicos, e escolares. O valor de tradução de documentos especiais custa em média R$100,00 por página. Os valores podem ser consultados no link https://jucisrs.rs.gov.br/upload/arquivos/201812/19171950-resolucao-010.pdf

A escolha do tradutor é realizada através de uma lista, disponível no site da Junta Comercial do Estado competente. No Rio Grande do Sul a lista está no site https://jucisrs.rs.gov.br/tradutores. Residentes de outros estados devem realizar a busca no mesmo órgão de competência do seu estado.

Após a realização deste processo, com documento de compra e venda traduzido, o processo de contemplação ocorre nos moldes de uma confissão de dívida para o reembolso dos valores.

 

Passo 3: Garantias para utilizar o crédito

A HS Consórcios aceitará em garantia um ou mais imóveis no Brasil, sem vinculação ao bem adquirido no exterior, possuindo valor venal igual ou superior ao saldo devedor do consórcio. O valor é apurado através de uma avaliação feita por empresa especializada em engenharia para o respectivo imóvel e aceito pela administradora. A documentação apresentada pelo consorciado deve estar em acordo com o regulamento, atendendo a todas condições estipuladas.

Os trâmites do processo de contemplação, com reembolso dos recursos aos consorciados, serão as pertinentes ao instrumento particular de confissão de dívida, decorrente da aquisição do imóvel no exterior e alienação da propriedade fiduciária do imóvel em garantia do Brasil. Neste contexto, o pagamento será feito diretamente ao consorciado, que ficará com a responsabilidade de remeter os valores para o exterior.

HS_lauda_22-05

Idade mínima para fazer um consórcio: conheça as regras

Fazer um consórcio significa planejar a realização dos seus objetivos. E o planejamento financeiro é algo muito importante de se colocar em prática o mais cedo possível. A partir do momento em que se tem renda, planejar significa ter responsabilidade sob seus ganhos e comprometimento com o futuro. Seja para você ou para a sua família, vamos te contar como funciona a titularidade do consórcio e quem pode ou não assinar o contrato.

 

Idade

O código civil brasileiro estabelece que para que qualquer pessoa física possa assinar um contrato, ela precisa ser considerada “plenamente capaz”, ou seja, precisa ter mais de 18 anos. Uma segunda opção é para os jovens maiores de 16 anos e menores de 18 que são considerados pelo código civil brasileiro como “relativamente capazes”, e podem assinar o contrato junto aos seus responsáveis.

Menores de 16 anos serão representados pelos pais ou tutores, ou seja, seu nome pode constar no contrato, mas são os seus responsáveis que vão assinar.

Em todas as modalidades, as situações são analisadas pela administradora, avaliando a capacidade de pagamento do menor ou dos pais na adesão do contrato.

Empresas

Em caso de empresas, o contrato deverá ser assinado pelo representante legal da empresa, como pessoa jurídica. A administradora deverá analisar o contrato social da pessoa jurídica para comprovar os poderes de representante.

Procuradores

O contrato do consórcio também pode ser assinado por procurador da pessoa física ou jurídica. Em caso de empresa, o mandato deve ter poder, concedido pelo dono ou sócios da empresa para isso. Em caso de pessoa física, é necessário que a procuração tenha expressamente os poderes do procurador para este fim.

Agora que você já sabe quais as regras para assinatura do contrato de acordo com a idade, comece a planejar a compra do seu carro, casa ou investimento. Independentemente da sua idade, a melhor forma de planejar é com a HS Consórcios.

Faça uma simulação escolhendo o valor do bem ou da parcela que deseja pagar. Acesse https://www.hsconsorcios.com.br/simulador

HS_lauda_07-05

Atrasei minha parcela, e agora?

Ao escolher o valor do consórcio de acordo com a sua necessidade para compra de uma casa, carro, reforma, entre outros, certamente você escolheu uma parcela confortável para o seu orçamento. Afinal, esta é uma das grandes vantagens do consórcio. Os prazos estendidos e a escolha do crédito a partir da melhor parcela, fazem parte da flexibilização da modalidade financeira.

Ainda assim, imprevistos podem acontecer e talvez em algum momento você não consiga pagar a sua mensalidade. O maior problema em relação a inadimplência no consórcio, está na manutenção do grupo, já que os consorciados dependem uns dos outros para a compra do seu bem. Mas e aí, o que acontece? Muitas dúvidas surgem nessa hora, mas estamos aqui para ajudar a esclarecê-las!

 

Procure a sua administradora

A nossa primeira dica é, converse com a sua administradora para verificar como ela pode te ajudar. Caso a sua dificuldade de pagamento se estenda por mais tempo e você ainda não foi contemplado, é possível baixar o valor do seu consórcio, diminuindo automaticamente o valor da parcela. Caso não seja mais viável fazer o pagamento de nenhum valor, é possível também transferir o seu consórcio para outra pessoa.

Como você sabe, a saúde financeira do grupo depende que todos os consorciados paguem em dia as suas mensalidades, para que até o fim do prazo do consórcio, todos tenham adquirido os seus bens. Parte da parcela paga mensalmente, é destinada ao fundo de reserva que serve justamente para este tipo de emergência, de forma que a falta de pagamento ou atraso de um consorciado não prejudique os demais. Por isso é muito importante que em caso de alguma dificuldade de pagamento, você informe o seu corretor para que juntos possam encontrar a melhor alternativa, evitando que o seu sonho seja prejudicado e a saúde financeira do grupo também.

A falta de pagamento pode ocasionar também na exclusão do grupo, de acordo com as regras estabelecidas em contrato. Desta forma, o consorciado continuará participando dos sorteios e receberá o valor pago no consórcio, quando ocorrer a contemplação.

 

Pagamento de juros e multa

A inadimplência implica o pagamento de juros de 1% ao mês e multa de 2% pelo período de atraso da parcela, sendo calculado pelo valor atualizado do bem ou serviço contratado.

 

Crédito contemplado

Caso o crédito já tenha sido contemplado, mas não tenha sido usado, o consorciado poderá ter a contemplação cancelada em Assembleia Geral.

Porém se o consorciado já tiver sido contemplado e tenha usado o crédito, poderá ter as garantias fornecidas a administradora, executadas, já que o bem fica em alienação como garantia. Além disso, não poderá votar nas Assembleias Gerais Extraordinárias.

A dica mais importante que podemos dar é assim que você perceber o problema, converse com o seu corretor ou diretamente com a administradora. Com certeza eles estarão dispostos a encontrar a melhor solução para o seu problema.

 

HS_lauda_29-04

Consórcio como investimento: saiba porque você deve considerar essa opção

Conquistar a casa própria é o sonho de muitos, seja para sair do aluguel ou para fazer um investimento. E, sim! Consórcio é investimento. Entre todas as vantagens que ele oferece como ausência de juros, de taxa de adesão, entre outros, com ele você ainda tem a possibilidade de ganhar dinheiro.

O consórcio é uma excelente opção para quem faz planejamento financeiro e deseja fazer um investimento seguro. Além disso, muitas pessoas têm dificuldade em guardar dinheiro e o consórcio pode ser visto como uma poupança forçada, porém com mais vantagens.

1- Sem entrada

A HS Consórcios oferece a possibilidade de investir sem precisar desembolsar um valor de entrada. Mensalmente você paga a parcela + taxa administrativa que é a remuneração da Administradora pela formação, organização e administração do grupo de consórcio + o fundo de reserva que é a garantia da saúde financeira do Grupo. Essa reserva é um percentual pago na parcela e que irá servir para cobertura de eventual insuficiência de receita às assembleias de contemplação; para uma reserva financeira caso ocorra um nível de inadimplência no Grupo; para cobertura da devolução aos desistentes; para pagamento de débito do consorciado inadimplente, após esgotados todos os meios de cobrança.

2- Sem juros

Entre as principais vantagens do consórcio está a ausência de juros, sendo que  a soma da taxa administrativa e do fundo de reserva é inferior ao pagamento de juros dos financiamentos bancários em seu prazo total. Por este motivo, o consórcio destaca-se como um investimento de longo prazo. Isso significa que, a comparação do consórcio com outras formas de pagamento a prazo, indica que o valor que será pago ao final do plano será mais baixo.

3- Poder de compra

A carta de crédito contemplada possibilita ao consorciado poder na hora de decidir a compra, já que ele pode negociar a compra do bem à vista.

4- Liberdade de escolha do bem dentro do segmento escolhido

Com o consórcio de imóveis você pode comprar casa, terreno ou fazer uma reforma, de acordo com a sua necessidade. A partir da sua escolha, a compra de uma casa ou apartamento possibilita mais de uma opção de investimento.

Você pode obter renda através de aluguel ou da revenda desses imóveis. Com o aluguel é possível complementar a sua renda, pagar as parcelas de um novo consórcio e pode ainda guardar dinheiro para ofertar lances, ou quitar um consórcio já contemplado.

5- Atualização do valor do consórcio

Quando a cota é contemplada, a administradora transfere o valor do crédito contemplado para uma aplicação automática que rende sobre a poupança, em média 0,52% ao mês. Assim o consorciado receberá a aplicação sobre o valor contemplado e não sobre o valor investido, recebendo o valor do crédito corrigido. O investimento mensal é muito mais baixo em relação ao valor do crédito aplicado, e receberá muito mais rentabilidade do que estar investindo em qualquer outra aplicação de renda fixa.

6- Possibilidade de venda de carta contemplada

Você sabia que é possível realizar a venda da sua carta contemplada? Esta é uma possibilidade legal, prevista no artigo 13 da lei 11.795/2008, “Os direitos e obrigações decorrentes do contrato de participação em grupo de consórcio, por adesão, poderão ser transferidos a terceiros, mediante prévia anuência da administradora”. Assim, desde que as obrigações financeiras do consorciado estejam em dia com a administradora, ou seja, a mensalidade e demais obrigações previstas em contrato, é possível passar a carta a terceiros, sabendo também que as obrigações financeiras restantes previstas em contrato serão de responsabilidade do novo consorciado.

O valor de venda do consórcio varia se sua cota já foi contemplada ou não, considerando os reajustes realizados na carta de crédito, sendo o valor pago, mais o ágio, que se trata do lucro que você vai ter sob a operação financeira. De qualquer forma, seu corretor vai esclarecer as dúvidas e realizar a venda com tranquilidade e segurança.

Gostou das dicas? Acesse o nosso site e encontre um corretor autorizado perto de você.